SOBRE A HOSTEOPATIA
HISTÓRIA

A Osteopatia foi criada pelo médico americano Andrew Taylor Still por alturas da guerra civil americana nos finais do século XIX.

Após a rica experiência na guerra civil e após muito clinicar e perder três dos seus filhos por consequência de meningite em 1864, Still chega a conclusão que as praticas médicas tradicionais de sua época eram frequentemente ineficazes ou mesmo prejudiciais em algumas ocasiões.

Suas pesquisas e observações clinicas o levaram a conclusão que o sistema musculoesquelético desempenha um papel primordial nos estados de saúde e doença além de que o organismo de cada individuo, se estimulado adequadamente apresenta todos os elementos necessários para a manutenção da saúde. Still acreditava que corrigindo problemas da estrutura do organismo através de técnicas manuais, denominadas atualmente como tratamento manipulativo osteopático, poderia se aprimorar a capacidade do organismo de funcionar e de se reestabelecer de processos patológicos.


CONCEITO

Osteopatia é um sistema de avaliação e tratamento com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos. A validade da Osteopatia é tão concreta que é recomendada e incentivada pela OMS ( Organização Mundial da Saúde) como prática de saúde.

A Osteopatia pode atuar de várias formas para ajudar o paciente achar a auto cura. Essas possibilidades são chamadas de: Osteopatia Estrutural, onde o terapeuta vai diagnosticar e atuar nos tecidos ósseo, muscular, neural, fascial, ligamentar, articular e sistema linfático. Osteopatia Postural, é a ciência do equilíbrio que estuda o Sistema Tônico Postural através de informações dos sistemas integradores como os pés, os olhos, ouvido interno, a propriocepção, viscerocepção. Ela também ensina a prestarem atenção nos distúrbios de oclusão, às cicatrizes patológicas que modificam o sistema postural. Osteopatia Visceral, onde o osteopata visa identificar a víscera que pode estar comprometendo uma possível estrutura ou sendo comprometida por essa estrutura, depois que achar a víscera relacionada com a lesão, o terapeuta se preocupará em dar movimento com qualidade, deixando a víscera livre para se movimentar e por consequência o corpo se auto curar. Osteopatia Craniana, tem como objetivo estudar a anatomia e a fisiologia do crânio e das sua possíveis inter-relações com todo o corpo. Nas técnicas cranianas, especificamente, o osteopata libera as estruturas restritas, facilitando a restituição de mobilidade entre os ossos e as suturas cranianas, normalizando a flutuação do líquido cefalorraquidiano, a liberação dessas suturas pode influenciar diretamente em sintomas musculoesqueléticos.


VEJA TAMBÉM
   Osteopatia Craniana
   Osteopatia Estrutural
   Osteopatia Visceral
   Postorologia
© JAIME SOARES